JARDIM JAPONÊS 

  

O jardim japonês é dos estilos mais complexos de ser representado. Ele destaca a espiritualidade, simbologia, religiosidade das suas peças do que as cores e formas por si só. Caracterizam-se pela presença de pedras, plantas, acessórios de jardim e água. O jardim japonês tenta resumir a essência da natureza em um pequeno espaço. Junto ao crescente interesse pela cultura oriental, o estilo de jardim japonês está influenciando fortemente a formação dos jardins modernos.

De todos os estilos de jardins, este é o mais conceitual. Com origem milenar, reúnem os segredos da vida em cada um de seus elementos. Mas, para os olhos ocidentais, não é fácil entender toda a filosofia que envolve os jardins japoneses. É preciso conhecer a antiga história e ter a sensibilidade aguçada para captar sua plenitude.

Surgiram inicialmente como cópias dos jardins existentes na China. Eram construídos pela classe dominante para contemplar a natureza, mas foi somente com a introdução do budismo zen que os jardins começaram a tomar formas tipicamente japonesas.

Dentro deste modelo surgiram estilos diferenciados, como os jardins do chá (ritual que envolve a bebida), os de cenário (que imitam a natureza em tamanho reduzido)  e os secos (onde a água é representada por areia ou pedras).